A BELEZA ESTÁ NOS DETALHES

Especialista em garimpar objetos pelo mundo, a estilista carioca Gloria Marques transformou este acervo no destaque de seu apartamento.

O aparador, na fronteira com da sala com a varanda, une cavaletes laranja (Tok & Stok) a tampo comprado pronto (Poeira).

O aparador, na fronteira com da sala com a varanda, une cavaletes laranja (Tok & Stok) a tampo comprado pronto (Poeira).

A moradora a estilista Gloria Marques encontrou a manta listrada do sofá em Paris. “Prefiro os móveis soltos, que facilitam mexer na decoração. Eles acomodam meu acervo de lembranças”, conta Gloria Marques.

A moradora a estilista Gloria Marques encontrou a manta listrada do sofá em Paris. “Prefiro os móveis soltos, que facilitam mexer na decoração. Eles acomodam meu acervo de lembranças”, conta Gloria Marques.

A estilista Gloria Marques pintou de azul os pés do banquinho de madeira. “Adoro inventar. Mas, olha, deu trabalho...”, diz.

A estilista Gloria Marques pintou de azul os pés do banquinho de madeira. “Adoro inventar. Mas, olha, deu trabalho…”, diz.

Neste sofá, as almofadas de tecidos africanos são da Sardina.

Neste sofá, as almofadas de tecidos africanos são da Sardina.

De uma viagem a Paris veio a dupla de vasos amarelos.

De uma viagem a Paris veio a dupla de vasos amarelos.

Apaixonada por letras, Gloria as agrupou nesta composição de parede.

Apaixonada por letras, Gloria as agrupou nesta composição de parede.

Móbile de mesa da loja do Museu de Arte Moderna de Estocolmo.

Móbile de mesa da loja do Museu de Arte Moderna de Estocolmo.

O arranjo de gloriosa enche de vida o vaso branco, há tempos na família.

O arranjo de gloriosa enche de vida o vaso branco, há tempos na família.

“Gosto de criar composições de objetos, especialmente se eles tiverem texturas artesanais e muita cor”, conta Gloria Marques. A parede da varanda exibe, em vez de quadros, cestos africanos. Sobre o aparador de madeira rústica, os castiçais cerâmicos em forma de baleia são do LZ Studio.

“Gosto de criar composições de objetos, especialmente se eles tiverem texturas artesanais e muita cor”, conta Gloria Marques. A parede da varanda exibe, em vez de quadros, cestos africanos. Sobre o aparador de madeira rústica, os castiçais cerâmicos em forma de baleia são do LZ Studio.

Na mesa de jantar, assinada por Warren Platner (1919-2006), os vasos de vidro (LZ Studio) espalham seu colorido. Cadeiras da Tok & Stok e tela apoiada no piso de Gláucia Leme.

Na mesa de jantar, assinada por Warren Platner (1919-2006), os vasos de vidro (LZ Studio) espalham seu colorido. Cadeiras da Tok & Stok e tela apoiada no piso de Gláucia Leme.

Antes na varanda, as poltronas de madeira vieram da extinta Jacaré do Brasil.

Antes na varanda, as poltronas de madeira vieram da extinta Jacaré do Brasil.

A porta da cozinha recebeu tom “verde-cheguei”, como Gloria defne. “Um exemplo de detalhe que faz a diferença.”

A porta da cozinha recebeu tom “verde-cheguei”, como Gloria defne. “Um exemplo de detalhe que faz a diferença.”

Voltado para a paisagem, o sofá (LZ Studio) veste estampa africana.

Voltado para a paisagem, o sofá (LZ Studio) veste estampa africana.

A moradora, na banqueta da H. Stern Home.

A moradora, na banqueta da H. Stern Home.

Na mesma loja foi encontrada a cadeira com entalhes de madrepérola.

Na mesma loja foi encontrada a cadeira com entalhes de madrepérola.

Os vasos de vidro são achados de Paris.

Os vasos de vidro são achados de Paris.

A estilista Gloria Marques abriu a porta do apartamento com uma cara satisfeita embora um pouco cansada. Sorridente, contou que o dia começara cedo, com a ida até a feira do Cadeg, na Zona Norte da capital fluminense, para comprar flores. Depois, preparara os arranjos, que distribuíra pelo aparador e pelas mesas da sala. Ainda tivera tempo para montar, na parede, uma composição com os cestos africanos, recém-trazidos da Espanha, e de correr a uma loja vizinha em busca da banqueta que faltava no terraço. Só aí experimentaria a sensação de dever cumprido. “Desde ontem, estou arrumando os ambientes para as fotos e resolvi testar novas configurações”, conta. “Coloquei o sofá estampado na varanda e levei as poltronas de madeira para dentro. Nelas, arrumei as almofadas que trouxe de uma viagem e que ainda estavam guardadas. Achei ótimo o exercício de repensar cada cantinho”, diz. Gloria é assim: adora mudar tudo de lugar em seu apartamento de três quartos em Ipanema, na beira da lagoa Rodrigo de Freitas. Ex-estilista da Richard’s, empresa para a qual desenvolvia a linha feminina, agora é dona da própria grife, a Sardina, que une moda a decoração – os dois universos nos quais transita com total desenvoltura. “Já viajei muito pesquisando tendências, e foi dessa forma que treinei meu olhar para os detalhes. São eles que fazem a diferença, seja numa roupa, seja no décor.”

Matéria publicada na revista Casa Claudia de Outubro de 2014

NESTA NOITE DE NATAL, ‘VISTA’ O SEU COMPUTADOR

Relógios e pulseiras inteligentes podem não fazer muito volume embaixo da árvore de Natal, mas qualquer fã de tecnologia ficará muito satisfeito em ganhá-los neste fim de ano. Os produtos são os mais comuns até agora entre os chamados “wearables”, que prometem mudar a forma como as pessoas interagem com a tecnologia ao levar funções do computador a itens como peças de roupa e acessórios.

Tome-se o caso do Moto 360. O relógio inteligente da americana Motorola permite checar a previsão do tempo, ver notificações de mensagens recebidas no celular e traçar rotas, entre outras funções. O dispositivo parece um relógio tradicional, com formato redondo e botão, o que mostra o esforço da indústria para tornar seus produtos mais atraentes ao consumidor. A ideia é conquistar não só os fãs de tecnologia, mas qualquer usuário que acompanhe as tendências da moda.

É curioso que os relógios, que foram abandonados por muita gente com a popularização do celular, sejam agora tão explorados pelos grandes fabricantes. Em parte, isso decorre do fato de que os novos dispositivos vão muito além de mostrar as horas. A finlandesa Polar, tradicional fabricante de medidores de frequência cardíaca, levou essa funcionalidade a relógios como o M400. Com isso, eliminou o uso da faixa que os esportistas eram obrigados a usar ao redor do peito – e que sempre foi motivo de incômodo e reclamação. O aparelho também funciona como GPS para registrar percurso, tempo do exercício etc.

A Microsoft Band vai na mesma linha e ajuda a monitorar a saúde, mas sob o formato de uma pulseira. Com ela, dá para saber como anda a qualidade do sono, contar o número de passos dados, seguir planos de exercícios etc.

Parte desses dispositivos vêm com assistentes pessoais digitais – sistemas que interagem com o usuário e aos quais é possível dar comandos de voz. A Microsoft Band vem com o Cortana, por enquanto disponível só em inglês. O Moto 360 usa o Google Now, que já fala português.

Rapidez é uma exigência na indústria de alta tecnologia. Os “wearables”, que eram uma promessa pouco tempo atrás, já se transformaram numa categoria de consumo. O mesmo pode acontecer com as impressoras 3D. Em tese, essas máquinas podem fazer qualquer coisa ao usar diversos tipos de material para “imprimir” um projeto criado no computador. Primeiro, a impressão 3D chegou ao mundo industrial. Depois, começou a ser adotada por fanáticos por tecnologia. Agora, já tem produtos para o consumidor como a Ekocycle Cube, da 3D Systems. O produto é resultado de uma parceria entre a companhia da Carolina do Sul e a Ekocycle, criada pela Coca-Cola e o músico wil.i.am, do Black Eyed Peas. A aliança tem o objetivo de estimular a manufatura de produtos com base em material reciclável. A Ekocycle Cube usa como matéria-prima um tipo de plástico feito a partir de garrafas PET.

As telas, em seus diversos formatos, continuam sendo uma atração especial. Parece não haver limite para o tamanho das televisões. No ano passado, os maiores modelos chegavam a 80 polegadas. Agora, superam os 100. Tanto a LG como a Samsung – ambas coreanas – lançaram recentemente modelos de 105 polegadas. O aparelho da Samsung tem tela curva, que dá sensação de imersão ao espectador, e qualidade de imagem 4K (ou quatro mil pixels), oito vezes melhor que o Full HD. A LG trouxe um modelo 5K, cuja tela também é curva mas tem um formato esticado, mais parecido com uma tela de cinema. Mas Papai Noel tem de ser muito generoso. O aparelho da LG custa R$ 300 mil. O da Samsung sai por R$ 500 mil.

No universo dos smartphones, telas grandes também estão ficando populares. O Mate 7, da chinesa Huawei, tem tela de 6 polegadas, uma das maiores do mercado. O aparelho usa uma versão do sistema operacional Android, do Google, muito bonita e rápida. Adota o padrão 4G; tem sensor biométrico, o que aumenta a segurança das informações; e vem com câmera de 13 megapixels.

No campo dos tablets, a Samsung lançou dois modelos da linha Galaxy Tab S, com telas de 8,4 e 10,5 polegadas. São finos e têm acabamento com bordas douradas, um apelo adicional para quem procura estilo.

Boa parte dessas novidades não está disponível no Brasil ainda. Para obtê-las é preciso comprar no exterior ou em sites internacionais que fazem entregas no país. Em quaisquer dos casos, é preciso ficar atento aos custos. Os preços indicados não incluem o imposto sobre valor adicionado, cobrado nos Estados Unidos, nem a tributação brasileira.

Uma boa notícia para não depender dos importados é que a Go Pro começou a fabricar seus produtos no Brasil. As câmeras compactas da companhia americana tornaram-se uma febre porque podem ser acopladas a capacetes e peças de roupa, o que ajuda a captar imagens em movimento com alta resolução. No recente show do cantor inglês Paul McCartney em São Paulo, havia instruções expressas para os fãs não usarem os bastões que costumam acompanhar a Go Pro. A versão 4, a mais recente, ainda não é produzida no Brasil.

Para os esquecidos, uma sugestão é comprar o The Tile. Trata-se de um bloquinho de plástico que se liga ao celular por conexão Bluetooth, criando uma espécie de cerca digital. O usuário pode atar o dispositivo à sua bolsa ou à chave de casa, por exemplo. Ao se afastar muito, o celular avisa.

É cedo para dizer quais serão os presentes do Natal de 2015, mas a expectativa é que os “wearables” fiquem ainda mais fortes. A Apple planeja lançar seu relógio inteligente, o iWatch, até meados do ano que vem. Também se espera para os próximos meses a chegada dos óculos Google Glass. É bom guardar dinheiro desde já.

1

Matéria publicada no jornal Valor Econômico em 09 de dezembro de 2014.

SESSENTÃO EM GRANDE FORMA

O apartamento dos anos 1950 precisava se adaptar à vida contemporânea. Totalmente reformado, incorporou facilidades de hoje sem abrir mão de luxos de outrora.

Sofá e mesa de centro da Micasa, poltronas de Thomaz Saavedra com tecido da JRJ e tapete da By Kamy

Sofá e mesa de centro da Micasa, poltronas de Thomaz Saavedra com tecido da JRJ e tapete da By Kamy

Foi uma aquisição e tanto. Em 2010, o casal de publicitários paulistanos comprou o apartamento sessentão, de 420 m², em ótimo estado – localizado no bairro de Higienópolis, em São Paulo, oferecia espaço de sobra para os três filhos, que, hoje, têm entre 5 e 12 anos. Mas o antigo projeto de interiores, assinado por Jorge Zalszupin, embora muito elegante, não combinava com as demandas contemporâneas. “Havia um hall enorme, um lavabo que parecia sala de banho, área de almoço separada da cozinha e dois quartos de empregada com um banheiro imenso”, conta a arquiteta Beatriz Fujinaka, da WF Arquitetos. “Em compensação, só dois banheiros serviam os quatro dormitórios”, emenda. Ela e a sócia, Stephanie Nigri Wolf, foram incumbidas de modernizar a planta e adequá-la aos anseios da grande família. Paredes vieram abaixo, e acabamentos sisudos, como os painéis de madeira escura sobre a alvenaria, foram trocados. A dupla teve o cuidado de preservar itens preciosos, a exemplo do piso de tacos de ipê, devidamente restaurado. Agora, cinco quartos acomodam a turma toda (um deles abrigará o bebê que está a caminho). “O casal ficou com a suíte principal, e cada criança possui seu canto. Dois banheiros, com entrada dupla, atendem aos quatro quartos, e todos têm o próprio closet”, conta Beatriz. A cozinha, ampliada, ganhou equipamentos industriais – quando recebe, o dono da casa leva a culinária a sério.

Na varanda (Harumi e Zayas Paisagismo), janelas de correr integram o espaço à sala. Deque da Parquet SP.

Na varanda (Harumi e Zayas Paisagismo), janelas de correr integram o espaço à sala. Deque da Parquet SP.

Peças retrô dialogam com a arquitetura (luminária de piso e mesa lateral da Filter). A estante de pau-ferro, criação das arquitetas (execução da Bela Madera), prolonga-se até o jantar. A dupla também assina o móvel sob a TV.

Peças retrô dialogam com a arquitetura (luminária de piso e mesa lateral da Filter). A estante de pau-ferro, criação das arquitetas (execução da Bela Madera), prolonga-se até o jantar. A dupla também assina o móvel sob a TV.

Almofadas do Empório Beraldin preenchem o sofá. Fotos da Zipper Galeria, Luciana Brito Galeria e Compota (Estudiobola) se apoiam na estante, que ganha portas e vira aparador na área do jantar.

Almofadas do Empório Beraldin preenchem o sofá. Fotos da Zipper Galeria, Luciana Brito Galeria e Compota (Estudiobola) se apoiam na estante, que ganha portas e vira aparador na área do jantar.

Mesa da Casamatriz e cadeiras de Thomaz Saavedra.

Mesa da Casamatriz e cadeiras de Thomaz Saavedra.

Na cozinha com piso de ladrilho hidráulico (Dalle Piagge), a tubulação da coifa industrial, grande demais para embutir, fcou aparente no teto, pintada de vermelho. No cantinho junto à porta vaivém, a família faz as refeições do dia a dia. Luminárias da Bertolucci.

Na cozinha com piso de ladrilho hidráulico (Dalle Piagge), a tubulação da coifa industrial, grande demais para embutir, fcou aparente no teto, pintada de vermelho. No cantinho junto à porta vaivém, a família faz as refeições do dia a dia. Luminárias da Bertolucci.

As crianças curtem as cores do mobiliário.

As crianças curtem as cores do mobiliário.

Camas e criado-mudo da Bela Madera e dossel da Tutte Belli.

Camas e criado-mudo da Bela Madera e dossel da Tutte Belli.

Para o casal, tons neutros na cabeceira de pau-ferro e couro (Arquipele) e na poltrona de Paschoal Ambrósio. Enxoval da Zucchi Home Fashion.

Para o casal, tons neutros na cabeceira de pau-ferro e couro (Arquipele) e na poltrona de Paschoal Ambrósio. Enxoval da Zucchi Home Fashion.

Matéria publicada na revista Casa Claudia em Setembro de 2014

COZINHA GOURMET – A NOVA SALA DE ESTAR

Por ser um espaço que engloba múltiplas funções, é importante que o projeto contemple a funcionalidade do ambiente

Mais do que uma tendência, as cozinhas gourmets viraram um verdadeiro estilo de vida. Com o aumento do interesse da população pela gastronomia, o ambiente vem contemplar a ideia de reunião, na qual o cozinheiro, e também anfitrião, e seus convidados possam interagir durante o preparo da refeição, estendendo a festa para além da hora de servir.

Por isso, é importante que o espaço seja aproveitado de uma forma inteligente, combinando os móveis com harmonia para criar, acima de tudo, um ambiente confortável. Sendo este um recinto que engloba múltiplas funções, como bancada de trabalho, armazenamento de utensílios e alimentos, cozimento e lavação, o projeto de uma cozinha gourmet precisa seguir algumas premissas para ter um espaço prático, confortável e funcional.

Integração

Construída a partir da evolução do conceito da “cozinha americana”, que privilegia a integração do cômodo com a sala de estar por meio de um balcão, a cozinha gourmet tem como elemento central uma bancada ou ilha, a qual receberá o cooktop e a coifa. Se a planta da casa ou apartamento permitir, uma integração com a área de lazer também é bem-vinda, principalmente com a churrasqueira. Assim, quando se abrirem as portas entre as áreas tudo ficará integrado em um grande espaço de celebração.

Exemplo de cozinha americana

Exemplo de cozinha americana

Funcionalidade

Uma cozinha gourmet é, antes de tudo, uma cozinha funcional, que oferece praticidade e conforto para quem está cozinhando e para os convidados. Assim, tudo precisa estar à mão, unindo praticidade e decoração, estilo e elegância. Os utensílios devem ser guardados de maneira que facilite o preparo da refeição, já os eletrodomésticos que adotam uma estrutura para embutir são as melhores escolhas para o ambiente. Tudo isso, pensando na melhor utilização do espaço.

Cozinha com ferragens da Häfele

Cozinha com ferragens da Häfele

Estética

Decorar uma cozinha gourmet não é nenhum bicho de sete cabeças. Para conseguir um design moderno e integrar a área com os outros ambientes da casa é necessário aproveitar ao máximo o bom gosto e explorar os elementos que caracterizam esse espaço. Por isso, dar um pouco mais de atenção aos acabamentos utilizados, como pedras e revestimentos, assim como na disposição dos itens que integram o móvel são extremamente importantes. As tendências da decoração contemporânea recomendam um ambiente prático, flexível e tecnológico.

Cozinha gourmet

Cozinha gourmet

Acessibilidade

Os móveis não podem atrapalhar na circulação. Para isso, no momento do projeto é preciso levar em consideração o famoso triângulo “pia, geladeira e fogão”, dispondo-os de uma maneira que facilite a preparação dos pratos e o acesso de todos à cozinha.

Ambiente com boa circulação

Ambiente com boa circulação

Conforto

A cozinha gourmet é também uma cozinha inteligente. Por isso, produtos e móveis multifuncionais são uns dos segredos para o sucesso dentro de um projeto para este ambiente. Desta forma, o uso de equipamentos de alta tecnologia que facilitam o preparo, o armazenamento, a execução e que estejam inseridos de forma discreta para não ter a caracterização de cozinha funcional, são sugestões o espaço.

Cozinha multifuncional

Cozinha multifuncional

Matéria publicada no blog Fah Maioli em 12 de Dezembro de 2014

INSTABILIDADE PROPOSITAL

Cadeira usa conceito de “desconforto-suportável”

design_cadeira_inactivite_part_i_01

A proposta inovadora é de um “desconforto-suportável” para promover a mobilidade, o bem-estar e evitar, tanto quanto possível, as posturas fixas. É com esta premissa que os irmãos Achille Castiglioni e Pier Giacomo criaram a cadeira Sella, assim como conceberam um de seus ícones em 1957 – o banco Sella, que confirmou, na época, o talento dos designers em dar formas originais aos objetos do cotidiano com elegância, mas que, ao mesmo tempo, foi considerado um design radical para aqueles tempos.

Embora o conforto seja uma necessidade de todos os lares, nem sempre o conceito do que é confortável é claro. Distinções são necesárias entre os significados de conforto e ergonomia. “Nós tendemos a associar conforto e ergonomia, mas são duas coisas diferentes. Conforto faz parte da ergonomia, assim como o desconforto é parte dela. Se o conforto pode ser relacionado com a ergonomia estática, o desconforto também pode ser conectado com a ideia de uma ergonomia dinâmica”, explica Castiglioni. Para ele, o incômodo pode ser capaz de colocar o corpo em movimento e, portanto, fora de suas posturas fixas crônicas. “Decidi trabalhar com diferentes situações típicas vivenciadas em casa, nas quais seria interessante inserir a atividade física. O objetivo do projeto, além da ideia de promover a mobilidade, é aumentar a consciência das pessoas sobre seus corpos”, diz Castiglioni.

Instabilidade proposital (Foto: Divulgação)

E foi com o “desconforto” em mente que surgiu a cadeira Sella. Ela propõe uma outra maneira de se sentar. A sua estrutura construída em apenas dois pés permite estimular diferentes partes do corpo através de uma situação passiva. “Ela tenta modificar nossos hábitos e nosso modo de vida. Tento projetar objetos visualmente impactantes, e nos parece impossível conceber que a cadeira com apenas dois pés seja estável. Esta percepção é o objetivo do meu processo de design, que é modificar essa visão do arquétipo.”

A peça é feita de madeira, e a concepção do produto foi em parceria com ergonomistas e fisioterapeutas. Ela foi fabricada em colaboração com marceneiros artesãos da École Boulle, em Paris. E o fato de que o assento é instável não é um erro, mas uma concepção para torná-lo um móvel usado apenas temporariamente. “Com esse tipo de conceito a casa não é mais um lugar apenas para descansar, mas também um parque infantil. Hoje, o designer deve conceber produtos caseiros que possam estimular o corpo através da criação de novos usos e maneiras de viver com seus objetos”, completa o autor.

Instabilidade proposital (Foto: Divulgação)

Instabilidade proposital (Foto: Divulgação)
Instabilidade proposital (Foto: Divulgação)
Instabilidade proposital (Foto: Divulgação)

Instabilidade proposital (Foto: Divulgação)
Instabilidade proposital (Foto: Divulgação)
Matéria publicada no site Casa Vogue em 12 de Dezembro de 2014

A UNIÃO FAZ A FORÇA

Da arte de juntar pedacinhos de madeira surgiu esta linha de laminados

02-rocha-porosa
Pouco porosa, a superfície evita manchas e o acúmulo de sujeira. na limpeza, pede pano úmido e sabão neutro.

Inspirada na tradicional técnica da marchetaria – que compõe desenhos e mosaicos com fragmentos de materiais diversos –, a Formica lançou a linha Joint. A ideia é simular tal efeito decorativo no revestimento de armários, paredes e painéis, valendo-se das conhecidas praticidade e resistência do laminado de alta pressão. Este é o modelo Standard (próprio para bancadas, portas e móveis), no padrão m 981 tagliare. O preço médio da chapa de 1,25 x 3,08 m, com 0,6 ou 0,8 mm de espessura.

03-rocha-porosa
Da arte de juntar pedacinhos de madeira surgiu esta linha de laminados.

 

Matéria publicada na revista Arquitetura & Construção em Setembro de 2014

MULHER QUER CONVENIÊNCIA E HOMEM, COSMÉTICO

Questões de gênero, a busca pela felicidade e a conectividade vão atrair a atenção do consumidor no Brasil em 2015, de acordo com a consultoria britânica Mintel. As tendências foram identificadas a partir de pesquisas de comportamento e de intenção de consumo.

“As pessoas estão questionando as noções tradicionais de gênero, rejeitando as restrições de estereótipos e abraçando a liberdade de serem elas mesmas e fazerem o que quiserem”, afirma Renata Moura, analista da Mintel. Segundo a consultoria, as mulheres brasileiras gastam diariamente quase o mesmo tempo que os homens com trabalho, deslocamento e atividades de lazer, mas ainda dedicam uma média de três horas ao dia a tarefas domésticas, como limpar a casa e cozinhar, enquanto os homens gastam 1,6 hora diariamente com essas atividades.

“Empresas de comida e bebida poderiam apelar ainda mais para essas mulheres sobrecarregadas de trabalho, já que 31% das mães estão comprando mais alimentos convenientes e 26% estão pedindo comida em casa para sua família com mais frequência”, diz Renata. Os homens, por sua vez, estão procurando mais produtos de beleza.

“O bem-estar emocional está se tornando o pilar da saúde e do bem-estar, fazendo com que as pessoas busquem ativamente a felicidade e procurem produtos que melhorem seu humor e estilo de vida”, diz Renata. Com essa perspectiva, 75% dos adultos consultados disseram que têm foco no cuidado com a aparência, o que pode indicar uma oportunidade para a indústria cosmética. Passar mais tempo com a família está nos planos de 74% dos entrevistados, o que pode impulsionar o consumo de jogos e produtos e serviços relacionados ao lazer fora de casa.

A Mintel também prevê que dispositivos sincronizados e a tecnologia para vestir vão se popularizar no Brasil, depois de ter conquistado espaço em países como os Estados Unidos. Segundo a consultoria, 21% dos brasileiros de 16 a 24 anos que moram com seus pais planejam comprar equipamentos como TV LED, notebooks e smartphones no curto prazo.

amigo-homem

Matéria publicada no jornal Valor Econômico em 10 de Dezembro de 2014

OBJETOS PRÁTICOS PARA O ALMOÇO AO AR LIVRE

Se não pode vencer o calor, junte-se a ele. Aproveite estas dicas de produtos e reúna a família e os amigos no jardim.

Leve a cadeira debaixo do braço 

162-objetos-praticos-para-o-almoco-ao-ar-livre-1
O modelo Camila (49 x 44 x 77 cm*), de madeira maciça, é ideal para quem tem pouco espaço e não abre mão de receber a turma em casa. Fechada, a peça do designer Aristeu Pires mede somente 5 cm de espessura, o que permite recolhê-la quando não houver convidados.

Mesa a postos em dois tempos

162-objetos-praticos-para-o-almoco-ao-ar-livre-2
Você só precisa de alguns segundos para montar o móvel dobrável de teca (1,80 m x 90 cm x 75 cm*) da Teakstore, ótima opção para servir o café no quintal ou o jantar na varanda. Fácil de guardar, a mesa pode, ainda, fazer as vezes de aparador – basta erguer apenas uma aba do tampo. 

Matéria publicada no site Casa Claudia em Dezembro de 2014

SÍMBOLO DA ESPERANÇA

Revestimento espanhol traz desenho inspirado na vegetação que sobreviveu à bomba atômica de Hiroshima

01-revestimento
Produzidos em 30 cores, os módulos (50 x 58 cm) de lâmina de feltro de lã prensada com acabamento de ABS geram diversas combinações.

Pouco restou da cidade japonesa depois da megaexplosão que a atingiu em agosto de 1945, no final da Segunda Guerra Mundial . A ginkgo biloba foi uma das raras árvores a escapar da tragédia. Eis porque se tornou motivo artístico popular no Japão, venerada como representação de força e paz para a ilha. A história sensibilizou o estúdio madrileno Stone Designs, que bolou o painel acústico Ginkgo, com peças que reproduzem o traço das folhas da espécie. A partir de € 60 cada.

02-revestimento
Matéria publicada na revista Arquitetura & Construção em Setembro de 2014

BANHO E SAUNA EM SINTONIA

Modelo compacto reúne equipamentos para a hora do cuidado pessoal e do relax

03-banho
A instalação da cabine de acrílico (0,90 x 1,20 x 2,26 m) requer ralo, pontos de água e luz.

A Cabine Ego Unique SPA acena com recursos que prometem um desfrute completo. Na fase da ducha, acionam-se o chuveiro com misturador de proteção termostática e os seis jatos reguláveis de hidromassagem vertical. A seguir, o usuário senta no banco de madeira, e dispositivos de aromaterapia,cromoterapia, rádio e som para MP3 entram em ação. A praticidade não fica de fora do modelo, que traz, ainda, exaustor, sistema de limpeza (que drena a água do piso) e porta estanque com fechadura magnética.

Matéria publicada na revista Arquitetura & Construção em Setembro de 2014