INOVAÇÃO EM LAR DE ESPAÇOS CONECTADOS

Peças-coringa se destacam em projeto

apartamento_raul_pompeia_hiperstudio_01

Quando decidiram iniciar uma vida juntos nesse apartamento na Pompeia, zona oeste da capital paulista, o jovem casal proprietário se deparou com a necessidade de melhorar o aproveitamento da área do imóvel de 100 m². Embora o edifício fosse relativamente novo, a planta original era bastante compartimentada e exigia uma reformulação profunda para ajustar-se ao estilo da dupla, sobretudo nas áreas sociais e de serviços.

Para atendê-los, os arquitetos do escritório Hiperstudio, Ricardo Gonçalves, Matheus Marques e Eduardo Barcellos, em associação à arquiteta Ana Montag, desenvolveram um projeto baseado em intervenções pontuais capazes de agregar conectividade aos ambientes.

Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)

Um dos focos do trabalho foi a integração entre o estar e a cozinha com a demolição da despensa. Mas em vez de uma convencional cozinha americana, os arquitetos propuseram uma solução que contemplasse níveis mais sutis de permeabilidade visual. Assim, entre o living e a cozinha foi mantido um pequeno trecho de vedação que, na face voltada para a sala recebeu ladrilho hidráulico (Brasil Imperial) formando um painel em preto e branco. O revestimento adiciona um toque de brasilidade ao décor, atmosfera reforçada pela luminária Bossa fornecida pela Lumini, em destaque na sala de jantar.

O projeto previu, ainda, a criação de um grande armário central com porta de vidro deslizante que serve como ponto de articulação entre o estar e a cozinha. Versátil, o móvel pode funcionar como adega e cristaleira, conforme o uso. O elemento de madeira se prolonga pela sala de TV, criando um anteparo para o acesso ao lavabo. Toda a marcenaria foi executada pela Eco Wood.

Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)

A sala, composta por uma sequência de ambientes integrados, foi ampliada com a demolição do corredor que dava acesso aos dormitórios. Também adquiriu fluidez com a remoção do caixilho que separava os interiores do terraço. A intenção, conforme contam Ricardo Gonçalves e Ana Montag, foi prolongar o espaço de estar com um novo deque de madeira.

A especificação dos revestimentos buscou aproximar os ambientes e a personalidade jovem e urbana de seus moradores. Daí o piso de porcelanato com padrão de cimento queimado em todos os ambientes (Portobello), e a parede em tijolo aparente com pintura branca (Cia das Telhas) no home.

Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)

Um grande sofá modular reversível fornecido pela Micasa funciona como um elo entre o living e a sala de TV favorecendo a interatividade social de um lado e o conforto do outro. O tapete reloaded tipo persa desgastado fornecido pela Botteh arremata o conjunto, adicionando uma pitada de cor.

Em consonância com a proposta de criar espaços amplos e despojados, a iluminação geral foi concebida para ocorrer de maneira indireta por meio de bandejas de luz. O objetivo era eliminar a necessidade de forro de gesso nas áreas sociais e de serviços. A exceção ocorre apenas em alguns pontos onde as placas de gesso foram imprescindíveis para esconder a instalação de ar condicionado.

Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)

Diferente do que aconteceu nas áreas sociais, a intervenção foi menor nos quartos. Na suíte do casal, por exemplo, foram mantidos o piso, a cabeceira da cama e os armários. A parede sobre a cabeceira recebeu o mesmo revestimento tipo cimento queimado usado no restante da casa.

Já os banheiros foram repaginados totalmente ganhando novas bancadas de porcelanato e gabinetes de madeira. Os revestimentos originais foram substituídos por pastilhas cerâmicas hexagonais fornecidas pela Atlas nas paredes e no piso, proporcionando um visual mais contemporâneo e descontraído.

Editora Globo (Foto: Editora Globo)

Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)

Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)
Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)
Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)
Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)
Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)
Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)
Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)
Espaços conectados para um morar contemporâneo (Foto: Marcus Damon/Estúdio Paralelo F)

Matéria publicada na site Casa Vogue em 08 de Dezembro de 2014 por Juliana Nakamura; Foto Marcus Damon Estúdio Paralelo Fotográfico

DETALHES CAPRICHADOS NO LAR DOS ARQUITETOS

Profissionais criam para si o apartamento perfeito

Se o ditado diz que em casa de ferreiro o espeto é de pau, quando se trata do lar de um arquiteto a realidade é bem diferente. O apartamento do casal Nicholas Alencar e Fernanda Rabello, do Studio Alencar, na cidade catarinense de Blumenau, é uma prova viva e aconchegante disso.

A única característica original que restou do imóvel localizado no bairro Victor Konder foi o piso de porcelanato. O restante foi modificado para deixar o espaço tão moderno quanto os proprietários. As paredes e o teto de todas as áreas sociais ganharam pintura de concreto para alcançarem o super em alta visual industrial. “Como não queríamos usar gesso ou quebrar paredes, apostamos em tubulações aparentes para as fiações elétricas”, conta o proprietário e arquiteto. Para deixar o projeto luminotécnico ainda mais interessante e personalizável, todas as lâmpadas ganharam um dimmer. Assim, o casal que adora receber amigos em casa pode tornar, de acordo com as necessidades, o ambiente mais acolhedor ou mais dramático.

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Uma alternativa criativa – e muito visual – encontrada para delimitar o espaço do jantar sem separá-lo da área social integrada, foi um painel de madeira que parte de uma das paredes e avança até o teto. Sob ele fica a mesa de jantar de linhas retas e recortes geométricos, feita sob medida pelo próprio casal – assim como boa parte da marcenaria da casa.

As peças do décor eclético foram garimpadas durante as viagens que Nicholas e Fernanda fizeram pelo mundo, herdadas da família e customizadas por eles mesmos. Nas paredes, os quadros são, além de decorativos, lembranças de momentos especiais. Na cozinha, um conjunto de xícaras de prata foi legado da avó. O latão da Chanel foi feito pela dupla e, para completar, dois toca-discos – um vintage  e outro retrô – criam a atmosfera de época que o casal adora. Para completar, uma das portas ganhou um adesivo do filme Harry Potter.

Ao chegar na suíte máster, a estética toma rumos diferentes da área comum. Em vez de concreto e acessórios moderninhos, tudo se torna clean, tendo como pano de fundo paredes e teto da cor azul diesel. Como cabeceira, um painel que contém molduras de gesso atribui visual clássico ao cômodo, enquanto criados-mudos feitos sob medida dão apoio para as transparentes e já clássicas luminárias Bourgie, de Ferrucio Laviani.

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)
Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)

Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)
Apartamento Studio Alencar (Foto: Alexandre Zelinski / divulgaçã)
Matéria publicada no site Casa Vogue em 14 de Novembro de 2014

INDUSTRIAL, MINIMALISTA E ARTSY

Loft em NY abriga luxo e obras de arte

Quando um jovem casal amante de arte buscava um lar nova-iorquino para viver e criar sua galeria particular, encontraram no bairro de Chelsea, ao lado do descolado High Line, um loft industrial dos anos 1920 que era quase como um sonho tornado realidade. Com a ajuda do escritório Gabellini Sheppard,, eles conseguiram transformar os mais de 1.000 m² do imóvel em um recanto perfeito e minimalista pronto para abrigar a família e suas exuberantes obras de arte contemporânea.

Logo na entrada, uma parede acetinada de aço inoxidável convida para uma gigantesca área comum composta por paredes brancas e piso de concreto. Tal neutralidade tinha apenas um objetivo: acomodar vibrantes peças de Cindy Sherman, Anselm Kiefer, Terry Winters, Mike Kelley, Thomas Ruff e muitos outros nomes estrelados. Para deixar tudo ainda mais interessante, foram instaladas, entre as vigas do teto, diferentes tipos de iluminação, tanto luz ambiente quanto luz de galeria, criando uma variedade de atmosferas.

No living, as belas curvas do design italiano da B&B Italia e da Maxalto Collections dão forma ao sofá, às poltronas e a uma mesa circular. Tanto ali quanto na sala de jantar, integrada à cozinha, mesas de madeira rústica adicionam um toque artesanal à decoração – sendo que a segunda fica abaixo do escultural lustre Blossom, de Toord Boontje.

Passando pela pulsante escultura Stardust, de Jack Pierson, o piso se eleva na forma de uma escada e passa a ser composto por nogueira brasileira. Essa diferença é responsável por delimitar as áreas privativas da casa: três quartos, três banheiros e área de serviço.  Portas de correr de vidro branco translúcido, quando fechadas, criam o senso ideal de privacidade para os espaços que cercam a ampla sala.

A suíte máster, igualmente ornamentada com arte, ganhou um banheiro completamente coberto de mármore. Uma banheira do mesmo material e uma ducha cercada por um enorme painel de vidro criam o espaço mais que ideal para o prazer de tomar banho. A serenidade do recanto é apenas quebrada por um espelho do século 18, que cria um contraponto barroco no ambiente clean.

Circulando por esse loft de Nova York, um pensamento pode passar pela cabeça de quem o faz. Se uma morada é capaz de transmitir a personalidade dos donos, aquele jovem casal definitivamente sabe muito bem o significado da “arte de viver bem”.

Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)
Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)
Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)
Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)
Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)
Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)
Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)

Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)

Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)

Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)

Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)
Loft Chelsea Gabellini Sheppard (Foto:  Paul Warchol / divulgação)

Matéria publicada no site Casa Vogue em 11 de Novembro de 2014

SALA E COZINHA INTEGRADAS PRECISAM TER O MESMO E ESTILO?

A leitora Daila Fanny, via e-mail, quer saber: sala e cozinha integradas precisam ter o mesmo estilo? Como decorar cada uma?

É importante que os dois ambientes ganhem linguagem coesa, além de serem práticos. Para não errar, veja as sugestões de três profissionais:

                                                                                   Fernanda Petelinkar01-sala-e-cozinha-integradas-precisam-ter-o-mesmo-estilo

 “Trate os espaços como um só. Optar pelo piso contínuo é uma forma de criar essa sensação. Aqui, foi possível empregar madeira, pois a cozinha não tem uso intenso. Se quiser algo mais fácil de manter, use porcelanato ou cerâmica” Marcel Steiner, designer de interiores

                                                                                                 Luis Gomes

02-sala-e-cozinha-integradas-precisam-ter-o-mesmo-estilo

“Como a cozinha ficará visível da área social, encomende armários que fujam do convencional e mais pareçam estantes. Evite acabamentos brancos e puxadores aparentes. No projeto acima, adotei portas de vidro preto brilhante”André Piva, arquiteto

                                                                                    Andre Nazareth03-sala-e-cozinha-integradas-precisam-ter-o-mesmo-estilo

“Uma boa coifa garante que o cheiro dos alimentos não se espalhe pela sala. Mas prefira uma peça discreta, especialmente se o fogão ficar numa ilha – caso em que o elemento suspenso, solto da parede, ganha destaque” Diego Revollo, arquiteto

Matéria publicada site Casa Claudia em 09 de Outubro de 2014