ADESIVO LAMINADO REPAGINA CABECEIRA E ARMÁRIO DE QUARTO DE CASAL

Aplicado no guarda-roupa e na cabeceira da cama, o revestimento branquinho pôs fim ao visual pesado do quarto de casal

essa 1
“Errei na cor dos móveis quando montei nosso dormitório há quatro anos”, lamenta a repórter visual Fernanda de Castro Lima, de São Paulo. Na época, o preço mais em conta foi determinante na escolha das peças de madeira. O visual, porém, ficou carregado, e não demorou para que ela e o marido, o designer Gustavo Bacan, se arrependessem da compra. Com orçamento apertado, Fernanda procurou uma alternativa que passasse longe da troca do mobiliário até encontrar o produto que fez seu coração bater mais forte: o laminado adesivo. As placas brancas, cobriram as portas do armário e a cabeceira da cama. Além do baixo custo, o resultado imediato animou a moça – em uma tarde, a aplicação foi realizada, e o cantinho do casal ganhou novos ares. “Gostei tanto que estou pensando em repetir a dose na marcenaria escura da cozinha”, comemora.
Na paleta discreta, o cinza tem seu lugar, tingindo a parede da janela. A fim de economizar, Gustavo e Fernanda arregaçaram as mangas e fizeram o trabalho sozinhos. Em pinceladas sutis, nuances marcantes de vermelho e magenta comparecem nos abajures.

essa debaixo
Matéria publicada pela revista Casa Claudia em Julho de 2014.

MIMOS PARA SEU QUARTO

Selecionamos camas prontas para você escolher o modelo ideal para o seu quarto.

 

A1De carvalho, a Kwi (2,35 x 2,30 x 1 m*) é composta de uma base larga para apoiar o colchão e de um criado-mudo suspenso e acoplado à cabeceira. Assinada pela dupla de arquitetos Fabio Berbari e Ricardo Minelli.

A2Fernando Jaeger criou o desenho da Hi Fi (1,10 x 2,03 x 1,10 m). Feita de cumaru, custa 1 486 reais e está disponível em outros dois tamanhos na loja do designer.

A3Feita de pinus de reflorestamento, a Dueto (2,28 m x 1,97 m x 77,5 cm) possui dois criados-mudos com uma gaveta cada

A4A cama Parquet (1,10 x 2,03 x 1,10 m), também de cumaru, tem uma cabeceira com várias lâminas da madeira. Do designer Fernando Jaeger

A5O modelo Essencial (2 m x 2,20 m x 0,51 cm), de alumínio e madeira, exibe um tom amarelo vibrante. Da Auping.

A6A cama Nit (90 cm x 2,10 m x 60 cm) para solteiros, de freijó natural, possui uma delicada cabeceira com detalhes tramados e o estrado aparente.

A7De madeira maciça, o modelo Auhentico (1,68 m x 2,17 m x 75 cm) cria um visual rústico.

A8Com estrutura de freijó forrada de tecido quadrilê, a cama Pavia (1,58 x 1,98 m) tem desenho assinado pela designer Grácia Mendes.

Matéria publicada na revita Casa Claudia em fevereiro de 2014

This entry was posted in Quartos.

Quartos de casal e de solteiro

Perfil dos novos quartos

Móveis funcionais e desenho ergonômico é hoje a grande pedida. As cabeceiras estão mais baixas, a iluminação menos intensa e a marcenaria investem pesado nos materiais transparentes. O acrílico aparece na dianteira. Colorido ou incolor, ele compõe aparadores, mesas laterais e também a cama. No piso, a madeira, na versão tábua corrida, ainda é a aposta mais convencional, em seguida pelo porcelanato e pelo mármore. Já o carpete, deixado de lado por muito tempo, volta em novas texturas, cores e materiais antialérgicos. Para os mais ousados, o hit do momento é a grama artificial. Verde ou branca trata-se de um revestimento sintético prático de limpar e que dispensa tapete.

Madeiras em alta

A tendência são as madeiras claras lavadas, que têm um visual leve e acolhedor. As mais procuradas são a freijó linheiro, o freijó natural, a imbuia e o ecológico pinho tratado, que se destaca pela beleza dos nós aparentes. Painéis, camas e criados-mudos desses materiais combinam com tudo, possibilitando complementar a decoração com peças nos mais diversos acabamentos, com acrílico, vidro e laca colorida.

 

Luz na medida certa

A iluminação ideal se divide em dois setores: a pontual, presente nos criados-mudos e na bancada, e a geral, instalada no teto. Essa ultima rende melhor quando distribuída num desenho retilíneo, que pode correr próximo ás paredes. Tanto nas luminárias como nas peças embutidas, use lâmpadas dicróicas ou AR 70 ou 48, que proporcionam uma luz macia. Importante também é dividir os circuitos e dimerizá-los individualmente. Assim, se consegue a claridade mais adequada para leitura, assistir TV e procurar roupa no armário.

Matéria originalmente publicada: Revista Casa Claudia Outubro de 2012